Andante,Andante...
"Nenhum  momento  de felicidade  terá  sentido  se  não  for  compartilhado"
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


E POR FALAR EM CAMÉLIAS...


      



“Arabescos de núvens lá pelos lados do Sul,diziam-lhe de previsões de tempo que raramente falhavam.E naquêle seu jeito caboclo,ouvia a “Guaíba de Porto Alegre”entre um chimarrão e outro”



Seu Jango.
Hoje despertei com um desejo de poder dizer-lhe tantas coisas...
Falar daquelas minhas ansiosas esperas nas tardes de sábado.
Daquêle trem apitando lá  pelas  bandas  de "Guti" e  meu coração menino aos solavancos  na expectativa de tua chegada.
Depois, aqueles nossos reencontros no portão.
O olhar carinhoso, aquêle seu jeitão caboclo de levar a vida, a maçã envolta num papel roxo (vinda da Argentina,como você fazia questão  de  frizar) ou aquêle embrulho com jujubas,o doce de minha preferência, saíndo de um dos bolsos  da  calça.
Relembrar a harmonia que reinava naquela casa, tão nossa!
A simplicidade acolhedora à tantos amigos seus.
E  lá  vinham os compadres, as alegrias,os jogos de cartas...(Seo Adriano com aquêle violão!... E todos cantando em  uníssono o  mesmo refrão:

[“E a fonte à rolar...Chuá,chuá...
E a água à correr...Chuê,chuê..."]

As cucas recheadas,encobertas com farofa doce, Dona Hilda sempre exageradando em tudo,né?
Até na expessura das fatias servidas àquela gente  animada.
A sua haveria de conter muita goiabada;recomendação do chefe. (Aliás, bem mais camarada que chefe).
Tanto  a  lhe a dizer...Meus tempos de adolescente, os retornos em altas madrugadas e você acordado à minha espera.Minhas broncas diante da sua inquietação enquanto eu não chegava.Mais  tarde a mesma cena repetindo-se comigo em relação ao meu filho. A história é sempre a mesma,mudam-se tão somente os  enderêços.
Quanto de bom, e de penoso também, a vida nos reservou,não é mesmo?
Gosto de relembar apenas o que de melhor ela nos ofereceu e  tantos foram  os momentos lindos,  vividos com emoção,faternidade,amor e poesia.
Sim,porque a poesia reside no jeito simples de encarar as coisas do  cotidiano, e isso nós  fizemos.Como  fizemos!
Você se foi, já bem velhinho, mas com a garra e lucidez de um jóvem.Tua cabeça cheia de histórias,de lembranças , revividas (e repetidas por muitas vezes) ao lado daquêle fogão à lenha. Recebestes menção honrosa pela eficiência de seus 54 anos dedicados ao trabalho (ao mesmo trabalho).
Um show a sua participação naquele encontro que reuniu  mestres  e  historiadores de nosso município e você ,aos 86 anos,mencionando datas ,personalidades e fatos que fizeram a história de Irati.Três dias após nos surpreendestes com viagem não programada ,aos campos do infinito.
Muito ainda eu teria à lhe falar,à recordar...Dizer daquêle seu olhar lá pelos lados do Sul e a previsão do tempo,baseada nos traços do céu,que raramente falhava.
Seu fanatismo por futebol. Na TV ,sem volume,assistias à uma partida.Pelo rádio (sempre sintonizado na Guaíba de Porto Alegre) ouvias ao mesmo tempo a transmissão de outro jogo.
E , como ninguém é perfeito, eras torcedor do "Inter".
Tenho ainda em meus guardados aquela caneca “colorada” em que tomavas o seu café da manhã.
Como esquecer-me daquêle seu gosto pela terra,pelas plantas? Das muitas árvores que ergueram-se  de suas mãos ? Algumas ,como as camélias,só para agradar à dona Hilda o grande amor de sua vida.

...E POR FALAR EM CAMÉLIAS, aquelas que  haviam  proximas  à uma  das  janelas que  não  mais  existe,continuam  lindas.
Ei-las,numa  foto  especialmente  pra  ti,meu pai  e   amigo. . .
Iratiense THUTO TEIXEIRA
Enviado por Iratiense THUTO TEIXEIRA em 11/08/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários