Andante,Andante...
"Nenhum  momento  de felicidade  terá  sentido  se  não  for  compartilhado"
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

DIVAGAÇÕES NA BOCA DA NOITE


Cai a noite sobre todos os silêncios.
Pálida chama de um lampião, desenha em retângulo uma janelinha de madeira.
Emoldura entre as formas, um rosto de mulher.
[ Nem alegre, nem triste. Parece resignado,apenas ]
Nuvens abafadas denunciam tempestade.
De quando em quando um risco luminoso crava-se em punhal ,num céu grávido de chuva.
E um trovão, rouco de distância, soa dolorido feito coiote vadio nas brumas da madrugada.
Andam ao vento,acordes de um violão.
[ Desentoado, ainda que...Apaixonado ]
Centenário pinheiro ao redor da casa acolhe entre os braços, asas itinerantes,
Franzinos , os braços, harpejam no breu da noite, canções de araucárias.
A tensão pré tempestade assola a aldeia desolada.
[ Há um rosto rastelando no olhar o espaço pastoso do céu ]
Aves albergadas, solidárias , espreitam do alto
A solidão da mulher na janela.
Aos primeiros pingos , ergue-se do cháo a essência da terra
E a janelinha se fecha para um céu em trabalho de parto.

Joel Gomes Teixeira
Iratiense THUTO TEIXEIRA
Enviado por Iratiense THUTO TEIXEIRA em 24/03/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários