Andante,Andante...
"Nenhum  momento  de felicidade  terá  sentido  se  não  for  compartilhado"
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


          J U L H O

Julho foi se chegando de mansinho, dando o ar da graça sob um céu que,embora borrado de brumas, cede espaço à lua cheia.
Ela - a lua cheia - feito uma noiva nervosa -anda ligeiro desajeitada com o véu das núvens.
Começo de madrugada...Madrugada gelada do Sul.
Estou pronto para o abraço do mês que mais aprecio .
[ Pudera ! Nasci em julho, consegui meu primeiro emprego em julho e casei em julho ]
Julho das mimoseiras e laranjais curtidos de geadas.
Julho dos cones de feno, de araticuns, de piazada em tempo de férias.
Julho da casa da "vó", de paparicos , adulações, descompromissos.
"Julhos" de minha infância tão distanciados no tempo,tão vivos na lembrança.
Julho do "meu agora".Tão frio, tão insípido, tão compromissado...
[ Mas... Julho !!! ]
Ah! esta mimosa aberta em gomos à minha frente, a instigar-me tolas reflexões.
Vento gelado espatifando-se contra o vidro da janela.Ao longe uivam cachorros vadios .
Gansos ensaiam alvoradas em algum quintal pelas cercanias
e um grilo escandaloso rasga a quietude do meu jardim.
Pálida de frio , recostada no muro ,uma rosa desavisada espia o asfalto.
Um vulto encazacado singra assobiando sobre as pedras da rua lateral.
[ O sassobio carrega um misto de melancolia ]
E a madrugada é uma boemia que se arrasta entre uivos, assobios e grilos.
Murmuro em meu aconchego:
É julho!... É julho! ...


Joel Gomes Teixeira
Iratiense THUTO TEIXEIRA
Enviado por Iratiense THUTO TEIXEIRA em 01/07/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários