Andante,Andante...
"Nenhum  momento  de felicidade  terá  sentido  se  não  for  compartilhado"
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


      YUJO QUER SANSUNG



Um automóvel estaciona quase em frente à porta de um certo estabelecimento comercial.
Desembarca a família inteira e rapidamente adentram ao estabelecimento.
Um choro dolorido fica ao lado de fora.
É intenso no começo,mas aos poucos vai perdendo consistencia e ,de repente, enxugando o lindo par de esmeraldas que lhe verdejam os olhos, o polaquinho de uns nove anos aproximadamente, cabelos de sol, calça com vinco e camisa xadrêz, adentra à casa de comércio.
Meio encabulado, achega-se à "baba" que compra alguns produtos naquele instante.
A idosa o abraça,recosta-lhe a cabeça ao seu peito e explica-se ao vendedor:
-Yujo triste ! "Chorrando" atrás de Sansung.
Baba compra Sansung pra Yujo, mas primeiro "tem que corer comércio pra vê onde mais barrato Sansung acha !"
[ Brilham as esmeraldas de Yujo ! ]
Alguém da família sugere:
-Quem sabe do Parraguai, tráz ? Mais barrato isso!!!
-Non,non,non...De lá sem garrantia.
Yujo deslumbra-se com a possibilidade de ter em mãos o seu sonho de consumo. Para fazer uma mediazinha coma "baba",diante do expositor de sementes de hortaliças apanha alguns cartuchos,mostra-os à "baba" ,pesa-os na balança eletrônica afim de constatar se o peso confere com o que está na embalagem.
Menciona as terras boas,ao pé da serra onde vive, capazes de produzir o "milagre do crescimento".
É naquele momento,um autêntico colono,cheio de amor à terra.
Despedem-se , e se vão...
Dentro do carro,sobre o asfalto a cem por hora...Yujo só tem agora,além dos carinhos do motor, o sonho do Sansung.
Dois meses se passaram:
Retorna a família.
Agora uma quente ensolarada tarde de verão.
As esmeraldas de Yujo, dantes em pranto, fixam-se agora na telinha do tão sonhado Sansung.
As mãos do polaquinho num gesto corriqueiro,abrem frenéticamente as imagens do aparelho que trás às mãos.
A "baba" adquire os mesmos produtos de sempre.
O expositor de sementes agora não mais atrai o polaquinho dos cabelos de sol.
Um sorriso para a telinha e mais um amigo adicionado.
Em pensamentos,o vendedor vai divagando nos dois "Yujos".
Aquele de antes,cheio de amor à terra, e o atual,"conectado" depois,da famigerada aquisição.
Yujo  agora...Tem  SANSUNG
Joel Gomes Teixeira

PS: "Baba" é a denominação polonesa da  palavra  avó.
Algumas palavras estão escritas  com  dois  "erres",e outras  com a  supressão de  um  "erre".Isso para  ser  fiel à pronúncia destes  nossos  queridos irmãos,habitantes do Sul.
Exemplos: "Parraguai, garrantia..." ou , "corer",para referir-se  ao verbo correr.
Iratiense THUTO TEIXEIRA
Enviado por Iratiense THUTO TEIXEIRA em 04/07/2018
Alterado em 04/07/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários